Conceito de “justo valor” nas empresas insolventes

A análise financeira é uma das responsáveis pela continuidade da empresa, pois ali reside o risco de liquidez e solvência, ou seja, a sua capacidade em honrar os seus compromissos.

Desta forma, é preciso ter em conta os valores atingidos em cada período. Só assim a empresa é capaz de desenvolver medidas para ajudar na sua evolução, estipulando novas metas a tingir.

 

 

A contabilidade deve transmitir aos seus utilizadores um conjunto de informações necessárias para esclarecer a relevância e a fiabilidade do justo valor tanto na contabilidade como na fiscalidade, bem como na atual crise financeira. O justo valor é o único método que acompanha a evolução e a dinâmica do mercado.

Um mercado cada vez mais competitivo, onde a informação é utilizada como ferramenta de planeamento e controlo financeiro, induz as empresas a uma valorização baseada em preços de mercado e a adotar estratégias de modo a sobressair nesse mercado, servindo assim como apoio à tomada de decisões a longo e curto prazo. Assim, é fundamental para a sobrevivência da empresa fornecer uma informação objetiva, relevante e fiável da sua posição financeira, bem como saber dar uso aos instrumentos de que dispõe para o desenvolvimento da sua atividade.

 

Para saber mais sobre este conceito, leia este paper ou vejas estes slides.

Portanto, o “justo valor” deverá ser caraterizado e enquadrado de acordo com o normativo contabilístico em vigor (SNC). Deve comparar-se o “justo valor” com o custo histórico, e analisar-se o comportamento do” justo valor” nas diferentes classes de ativos.

 

 

João PM de Oliveira, Consultor

Estratégias na R€-estruturação de Passivos

Siga-me no Linkedin

Facebook Twitter Linkedin