PER – SYSvision, Pc-4217/14.2T8SNT

O core business desta empresa dependia essencialmente da Portugal Telecom, SA. A queda do BES e a subsequente implosão da PT despoletaram esta reestruturação.

Ir para o HUB dos PLANOS

PER de uma empresa de janelas de alumínio

A SYSvision acompanhou a PT desde o desenvolvimento do MIMO e do projeto Magalhães até ao atual MEO e M4O, entre outros, tendo desenvolvido várias aplicações para gerir vários projetos da PT.

 

A competição entre as diversas operadoras nacionais criou um cluster tecnológico em torno da PT, que a acompanhou nas suas aventuras de internacionalização e nas presentes desventuras.

 

Neste contexto em que todos somos forçados a reestruturar os nossos negócios, a SYSvision, Lda. apresenta aos seus credores o seguinte plano de revitalização:

 

Sumário: Plano-2-PER-SysV-V15

 

Plano 2Plano2-PER – SYSvision – V15

 

Em 19-04-2015, este plano foi considerado aprovado pelo Administrador Judicial Provisório, Dr. Vítor Ramos, com 99,8% de votos favoráveis, aguardando-se a sua homologação e o necessário trânsito em julgado.

 

Relatório-AJP: Votação-PER-SysVision 

EDITAL: Publicidade da Homologação: Aprovado em 19-4-2015

 

Ao longo de anos a SYSvision acumulou um vasto conhecimento das operações da PT com a sua linha de produtos MEO, na programação dos sistemas informáticos necessários ao suporte de toda a panóplia de produtos e bundles informáticos, como o triple play e o recente M4O.

 

Portfólio: SysVision – Produtos e Clientes

 

Ao acompanhar a PT nas aventuras brasileiras a empresa empenhou-se, empenhamento esse que lhe custou milhares. Agora assume a sua perda total, com a saída da PT do Brasil.

As anteriores parcerias entre a PT e a Telefónica, que a SYSvision também tentou acompanhar, já anteriormente tinham custado muito dinheiro à empresa.

 

Neste momento a empresa, tal como a PT, tem de regressar ao seu core business, digerir as suas perdas, reduzir custos e tentar recomeçar acompanhando a PT e os seus novos dirigentes em novos mercados.

 

A implementação desta reorientação estratégica dependia de uma redução de pessoal, a qual era de impossível escolha. Durante este turning point, o desenrolar da vida corrente da empresa levou a saídas por opção pessoal e voluntária de mais de um quarto da equipa, o que poupou à gerência a difícil tarefa da seleção. Inesperadamente os objetivos de contenção financeira foram ultrapassados, e a empresa continua a funcionar normalmente.

 

Continua a ser necessário reduzir os restantes custos de funcionamento, conhecidos como FST, e outras atividades não pertencentes ao core business.

 

Complementarmente, o spin-off e a autonomização de todos os negócios no Brasil irá permitir o seu próprio financiamento e desenvolvimento, independentemente do futuro da SYSvision.

 

Deste modo a SYSvision poderá estabilizar financeiramente e retomar o caminho do desenvolvimento de produtos para a PT, sem que os seus problemas afetem as restantes empresas do grupo.

Ir para o HUB dos PLANOS

PER – Empresa Mobiliário Cozinhas

 

João PM de Oliveira

Estratégias na R€-estruturação de Passivos

Interessante? Partilhe!

Facebook Twitter Linkedin