Contabilidade Forense

“Contabilidade forense é a ciência que recolhe, reúne e apresenta ao tribunal a informação financeira de forma a que possa ser compreendida, aceite e usada contra os perpetradores de crimes económico-financeiros.”

 

O Autor deste trabalho é o Dr. Carlos Manuel Simões Mendes: Março de 2015

 

O adjetivo “forense” surge no dicionário associado àquilo que é “do foro criminal”, “dos tribunais ou a eles relativo” ou que “aplica conhecimentos científicos a questões criminais”.

 

Uma ligeira introdução sobre contabilidade forense é apresentada neste “PowerPoint”:

Slides: Trabalho – Contabilidade Forense

 

Segundo Maning (2005), a contabilidade forense pode definir-se como “a ciência que recolhe, reúne e apresenta a tribunal a informação financeira de forma a que possa ser compreendida, aceite e usada contra os perpetradores de crimes económico-financeiros.” Assim, a contabilidade forense encontra-se relacionada com a área económico-financeira em assuntos de natureza cível ou criminal.

 

Para um conhecimento mais aprofundado consulte este paper, que aborda o trabalho forense realizado nas contabilidades de empresas com processos-crime e outros.

 

Paper: Trabalho Sobre Contabilidade Forense

 

Os crimes de natureza económico-financeira têm nos últimos anos atingido patamares de quantidade e valor que levantam sérias preocupações quanto às suas consequências. Tal facto poderá ser facilmente comprovado recorrendo a uma análise das notícias que, diariamente, fazem manchete nos media. Efetivamente, toda a comunicação social tem, de alguns anos a esta parte, dado especial atenção a estas matérias que, muitas das vezes, envolvem nomes sonantes da sociedade contemporânea.
A cada vez maior cobertura e divulgação noticiosa de factos relacionados com o chamado crime de colarinho branco tem motivado uma maior tomada de consciência da sociedade e dos respetivos governantes para os efeitos perniciosos que dele advêm.
Em consequência disso, tem-se sentido uma cada vez maior necessidade da existência de agentes altamente especializados que ajudem a combater este tipo de crime, não só no sentido da identificação dos seus autores e quantificação dos danos por si provocados, como também para apresentá-los perante a justiça e contribuir para a sua condenação.

Apesar de ultimamente ser mais vezes referida, a contabilidade forense não é uma área recente, pois existem indícios da sua existência já há bastante tempo. Segundo Nurse (2002) citado por Moreira (2005), escavações efetuadas na Mesopotâmia e no Egito mostram que já em 3300 e 2500 AC existiam registos de natureza contabilística, e que a sua falta era motivo para investigação. Apesar disso, apenas nos anos 90 do século passado esta passou a ser uma área de negócio a não descurar pelas empresas que mais bem preparadas estavam para desempenhar a função: as empresas de Auditoria. De entre elas destacam-se naturalmente as big four: PWC, Deloitte, KPMG e Ernest & Young, por serem as mais relevantes.

Com o surgimento de casos como os da Enron, Worldcom e Sarbanes-Oxley, a contabilidade forense sofreu uma forte expansão, tendo estes casos permitido a sua afirmação enquanto necessária para a descoberta das fraudes em causa e condenação dos seus perpetradores.

 

Regressar ao Hub Central da CONTABILIDADE

 

 

O Autor deste trabalhado é o Dr. Carlos Manuel Simões Mendes

Março de 2015



 Trabalho catalogado por JPMO

João PM de Oliveira

Estratégias na R€-estruturação de Passivos

 

 –*–

HUB principal: todos os temas

Clique neste botão para voltar ao princípio

 

Interessante?  Partilhe! 

Facebook Twitter Linkedin